Saúde da mulher: a importância do Pilates no climatério

Pilates previne em até 25% problemas cardíacos
21 de janeiro de 2016
Do fitness à fisioterapia, modalidades de Pilates ajudam no equilíbrio, flexibilidade, força e muito mais
12 de fevereiro de 2016

A partir dos 35 aos 40 anos, a mulher sofre com a perda de um hormônio fundamental em seu organismo, o estrogênio. Essa fase da vida, que se estende até os 60 anos, quando a mulher entra no período de envelhecimento, é chamada de climatério.O estrogênio age diretamente na musculatura pélvica, evitando a perda involuntária de urina. A ausência desse hormônio durante o climatério causa incontinência urinária, que pode ser prevenida ou tratada com os exercícios de pilates.

 

“O tratamento é o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico, que ajuda a diminuir e muitas vezes a eliminar totalmente a perda involuntária de urina”, afirma Maristela Carbol, médica ginecologista e obstetra da Universidade de São Carlos – departamento de saúde da mulher.

 

Nesse período de vida da mulher também há o enrijecimento da musculatura, que precisa ser alongada e fortalecida para evitar e amenizar as dores que aparecem principalmente em articulações, como quadris, joelhos e ombros.

 

A fisioterapeuta Vanessa Benetasso, de Ribeirão Preto, explica porque o pilates é a melhor opção na fase do climatério: “ele ajuda no fortalecimento pélvico, evitando sintomas urogenitais, especialmente a incontinência urinária e a diminuição da libido, já que aumenta a consciência corporal nessa região”. Além disso, a prática do pilates ajuda a diminuir o risco de doenças cardiovasculares e a perda de massa óssea, problemas que afetam as mulheres nessa fase da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *